10 motivos para beber vinho brasileiro

10 motivos para beber vinho brasileiro. Na verdade, teríamos muitos outros motivos. Afinal, o mundo dos vinhos nos surpreende a cada dia, e sempre positivamente.

Durante muito tempo, a ideia que se tinha era de que os vinhos brasileiros não eram tão bons quanto os importados. Hoje, superamos esse conceito e mostramos ao mundo nossas qualidades e características únicas! Confira:

10 motivos para beber vinho brasileiro: tem qualidade

Vou começar por um dos pontos mais importantes na escolha de qualquer produto, indiferente do segmento. Qualquer produto precisa ter qualidade. Aqui um ponto para os nossos vinhos. Apesar de termos uma produção relativamente nova, já produzimos ótimos vinhos e com grande reconhecimento nacional e internacional. Vinho brasileiro tem qualidade!

10 motivos para beber vinho brasileiro: Preço

Aqui vai um dos grandes diferenciais dos vinhos “brazucas”. Se comparado com bons vinhos vindos do exterior, um produto de qualidade similar feito no Brasil vai ter um preço – na grande maioria das vezes – mais acessível. É o chamado custo-benefício, quando temos dois produtos de qualidade similares e podemos escolher o de menor preço. Vinho brasileiro tem ótimo custo-benefício!

Ponto importante a considerar aqui é que os vinhos vendidos no Brasil, tanto importados como nacionais, poderiam ter preços bem mais baixos, se não fossem as pesadas cargas tributárias impostas pelo governo.

10 motivos para beber vinho brasileiro: Diversidade

Outra grande vantagem, além da qualidade e do preço, é que possuímos ótimos produtos de diversos tipos, seja tinto, branco, espumante, doces, fortificados e até rosés. Sim, até rosés! Vinho brasileiro tem muita diversidade!

10 motivos para beber vinho brasileiro: espumantes

Temos ótimos vinhos e com uma grande diversidade, mas os espumantes do Brasil merecem destaque especial (lembrando que espumante é um tipo de vinho). Já faz algum tempo que as nossas “borbulhas” vêm fazendo sucesso no Brasil e no exterior.

Diversos consumidores e especialistas vêm destacando nossos espumantes. Aqui mais uma vez, diversidade e preços dos produtos locais são imbatíveis. Espumante brasileiro é reconhecido internacionalmente!

10 motivos para beber vinho brasileiro: Vinhos premiados

Mais um ponto que mostra o momento dos nossos vinhos são as diversas premiações conquistadas nos mais prestigiados concursos internacionais. Nesses eventos os vinhos brasileiros concorrem com os melhores de todo o mundo.

Só para você ter ideia, recentemente uma Chardonnay produzida em Bento Gonçalves conquistou medalha de ouro em um concurso realizado na região de Borgonha, na França, concorrendo com vinhos da mesma uva. Se você não sabe, a Borgonha é reconhecida como o local onde se produzem os melhores vinhos com a Chardonnay no mundo. E o Brasil estava lá ficando entre os melhores do concurso. Vinho brasileiro é muito premiado!

10 motivos para beber vinho brasileiro: Quanto mais perto melhor

Outra grande vantagem dos nacionais é o transporte. O vinho é um produto vivo e que sempre está passando por mudanças. Você já ouviu ou leu sobre dicas para guardar garrafas de vinho antes de abri-lo, onde o ideal seria um local escuro, sem vibrações e mudanças bruscas de temperatura. Todas essas informações são importantes para evitar que a bebida perca qualidade. Fatores também importantes durante o transporte. Quanto menos as garrafas passarem por balanços e estresses de deslocamentos, melhor.

Uma das grandes vantagens dos vinhos brasileiros é que eles são produzidos mais perto de nós, não necessitando viajar tanto e evitando que “sofram” durante seu transporte. Vinho brasileiro viaja menos e corre menos risco de perder qualidade!

10 motivos para beber vinho brasileiro: Quanto mais perto melhor: Recomendado pelos maiores críticos do mundo

O famoso crítico Jancis Robison já citou positivamente nossos espumantes nacionais. Também muitos outros grandes especialistas têm reconhecido as qualidades dos vinhos brasileiros. Personalidade como Oz Clarke (renomado especialista inglês), Steven Spurrier (editor da revista Decanter), Claudia Quini (OIV), Evan Goldstein (Master Sommelier), Roberto Rabachino (PhD italiano) e tantos outros. Vinho brasileiro é reconhecido e comentado pelos grandes críticos do mundo!

10 motivos para beber vinho brasileiro:  Tecnologia, pesquisa e dedicação

Os produtores locais utilizam tecnologia de ponta. Os mesmos equipamentos e técnicas utilizadas para produzir os melhores vinhos do planeta também são utilizados por aqui. Também podemos nos orgulhar dos estudos e pesquisas que vêm sendo desenvolvidos por entidades e órgãos brasileiros, buscando entender e melhorar a qualidade dos nossos produtos. Muito em breve devemos sentir ainda mais nas nossas taças os resultados desses esforços. Vinho brasileiro é feito com muito estudo e dedicação! 

10 motivos para beber vinho brasileiro: O Brasil vem se descobrindo

Mesmo sendo jovem no mercado de vinhos, novas áreas vêm sendo demarcadas buscando o melhor potencial produtivo, seja pelo solo, clima, tipo de uva e outras caraterísticas singulares. A Serra Gaúcha (as uvas do Caminho do Vinho vêm em sua maioria de lá, para que o vinho seja produzido), Campos de Cima Serra, Campanha Gaúcha, Serra do Sudeste, Planalto Catarinense, Vale do São Francisco e outras regiões viníferas são exemplos disso. Vinho brasileiro está cada vez mais identificando o seu melhor potencial!

10 motivos para beber vinho brasileiro: O Brasil vem se descobrindo: Viagem, cultura e história

Um dos grandes prazeres da vida é degustar um bom vinho, ainda mais acompanhando de uma bela refeição. Quando abrimos uma garrafa não estamos somente nos preparando para beber um fermentado de uva, mas viver e interagir com a história e a cultura de uma região. Melhor ainda, se tudo isso acontecer direto na sua origem, no local onde a bebida foi produzida. Ou seja, o Caminho do Vinho é ideal para vivenciar essa experiência.

O Brasil possui várias regiões vinícolas lindas, culturalmente incríveis e com uma gastronomia fantástica. Que tal aproveitar e conhecer alguns locais e seus produtores e ainda provar os produtos direto da sua origem? Não imaginamos lugar melhor que o Caminho do Vinho… Afinal, em épocas de alta do dólar, em que os importados e viagens internacionais ficam com preços exorbitantes, aproveitar as riquezas nacionais é uma ótima alternativa. Vinho brasileiro possui paisagens e histórias lindíssimas… aproveite essa oportunidade no Caminho do Vinho!

Existem muitos outros motivos para você aproveitar os vinhos do Brasil. Esses foram apenas alguns. Agora, que tal aproveitar um belo néctar de Baco produzido aqui no nosso país? O Caminho do Vinho espera por sua visita.

Fonte: sobrevinho.net

Conheça as características do Vinho Colonial

Conheça as características do Vinho Colonial  no Caminho do Vinho! Afinal, se você é descendente de italiano e mora no sul do Brasil, provavelmente já tomou uma taça de vinho colonial, feito de forma artesanal, que muitas pessoas conhecem como “vinho de mesa”.  Mas você sabia que esse tipo de vinho tem suas variações, como as apresentações em Vinho Tinto de Mesa Seco, Vinho Tinto de Mesa Suave, Vinho Branco de Mesa Seco ou Vinho Branco de Mesa Suave.

Características do Vinho Colonial

O vinho colonial leva pouco tempo para ser produzido. Para elaborar o vinho colonial são usadas geralmente uvas Lambrusco ou Americanas, uvas típicas de sobremesa. Por isso o vinho tem um cheiro tão parecido com as próprias uvas. Os vinhos tintos normalmente são feitos de uva Bordô, Rubi ou Itália; os vinhos brancos, de uva Niágara.

Vinho colonial e suas harmonizações

Embora o mercado gastronômico ignore totalmente o vinho colonial, ele pode ser harmonizado como você quiser ou conseguir. Se você conversar com um dos colonos aqui do Caminho do Vinho e perguntar se um vinho colonial vai bem com polenta e galinha ensopada, ele com certeza vai dizer que sim. E a gente concorda!

Vinho colonial é chique?

Nada tem a ver com finesse, tem a ver com a busca por um sabor a mais na sua refeição, por meio do vinho colonial.  Atualmente,  o vinho colonial corresponde aproximadamente a 70% do mercado nacional. Ou seja, tomar vinho é chique sim. Não importa se o vinho é colonial ou não.

Vinho colonial seco ou suave?

O vinho colonial tem bastante espaço no mercado por ter essa possibilidade de variações. O vinho colonial pode ser encontrado tanto seco quanto doce, e para os iniciantes com paladar mais sensível aos vinhos finos, o vinho doce é uma ótima alternativa. Mulheres tendem a gostar do tinto suave exatamente por ser doce. Ou seja, não despreze os vinhos coloniais! Eles podem revelar surpresas em cada nova garrafa a ser aberta!

Fonte: vemdauva.com.br

São José dos Pinhais é o segundo maior produtor de morango do Paraná

São José dos Pinhais já é o segundo maior produtor de morangos do Paraná, as informações são da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado que divulgou recentemente as informações sobre a produção da fruta no Paraná.

O município já responde por 12% de toda a produção do Estado, o que significa uma produção anual de 2,6 toneladas. Parte é comercializada no Ceasa e outra parte é comercializada diretamente no município entre produtores e consumidores em larga escala, como restaurantes e panificadoras.

Essa produção deve-se também pelo incentivo da Prefeitura de São José dos Pinhais, através da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, que incentiva a agricultura familiar no município através do subsídio de 60% do valor das mudas de morango importadas que tem como característica produtividades praticamente o ano todo.

Em 2014 mais 550 mil mudas de morango, dos tipos Albion e San Andréas, foram entregues a 259 produtores rurais do município.

A produção prevista por muda de morango é de 1,2kg. Estima-se que com este incentivo, desenvolvido pela Prefeitura, os produtores participantes do programa possam colher mais de 700 toneladas de morango na próxima colheita.

“Para 2015 pretendemos ampliar o número de mudas distribuídas, mas pretendemos que novos produtores iniciem ou retornem  ao cultivo do morango, pois é uma cultura rentável, já que uma planta produz  por 2 anos”, explicou a secretária de Agricultura e Abastecimento, Daniella Fávaro Setim.

Segundo a secretária, no cultivo do morango, por exemplo, um casal consegue cuidar de 10 mil mudas. “Muitos produtores hoje estão preferindo o sistema semi hidropônico, onde o manejo se torna muito mais fácil. Vamos investir em palestras e assistência técnica para que o produtor consiga extrair o máximo da sua cultura, aumentando assim a sua renda familiar”, explica.

Foto: Divulgação.