Conheça a história do Caminho do Vinho, que completa 15 anos

wine bottle with glass and grapes isolated on white background

Colônia Mergulhão

A Colônia Mergulhão está localizada na área rural, entre as Colônias Acyoli, Murici e Rio Pequeno, a 10 km da sede do município de São José dos Pinhais, sendo as Famílias Daldin, Bortolan, Bim, Juliatto, Pissaia e Possobom, as primeiras que se estabeleceram na região, trazendo a tradição da produção artesanal do vinho e outros costumes.

As ruínas da primeira Capela encontram-se na chácara da Família Possobom (séc.XIX). Em 1938, foi erigida a segunda Capela de N. Senhora da Imaculada Conceição, em um espaço cedido pela Família Daldin e construída pela comunidade, na estrada principal da Colônia – Estrada do Mergulhão. Em 1992, a Capela foi demolida, dando espaço à atual, preservando-se o Campanário (1952).

O “Caminho do Vinho”

A identificação do potencial turístico da região ocorreu em 1998, quando foi realizado o inventário para posterior elaboração do Plano de Desenvolvimento Turístico de São José dos Pinhais. Em 1999, iniciaram-se as reuniões participativas com a Comunidade, espaço em que foi apresentado a proposta do projeto. Com as conversas, chegou-se ao nome para o roteiro, “Caminho do Vinho”, e desde então tem sido assim: tudo que aqui existe é decidido com os associados em parceria com a SICTUR.

Hoje, o Programa Caminho do Vinho instituído pela Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo e Acavim, abrange a Colônia Mergulhão e arredores, fomentando ações de desenvolvimento, divulgando o folclore, artesanato, comidas típicas, a valorização do patrimônio histórico-cultural, por meio do estímulo à preservação e conservação das casas históricas, qualidade dos produtos comercializados como o vinho, suco, graspa e licores, produtos coloniais (salames, queijos, compotas, bolachas, conservas, entre outros) e agrícolas, transformando a região em um “produto turístico” diferenciado.

Atualmente a Rota de Turismo Rural “Caminho do Vinho”– Colônia Mergulhão, possui 34 propriedades rurais envolvidas nas mais diversas atividades como vinhos, restaurantes e cafés coloniais, chácaras de eventos e lazer, minhocário, pesque-pague, pousada, receptivo local, artesanato entre outras. Mantém ainda hoje edificações típicas da colonização italiana, bem como de outras influências, consideradas de valor histórico, ainda utilizado como residências das famílias Bortolan, Hungaro, Daldin, Juliatto e Pissaia.

O resgate e conservação da cultura italiana trazida pelos primeiros imigrantes da região é um desafio constante a ser buscado por meio do idioma, gastronomia, artesanato, danças típicas e canto, tendo no Grupo Folclórico Italiano Cuore D’Italia, no Coral Italiano Belvedere e no envolvimento da comunidade, por meio da Associação Caminho do Vinho-Colônia Mergulhão (ACAVIM), fruto do hoje Programa Caminho do Vinho, grandes aliados.

 

A ACAVIM

logo acavim2A Associação Caminho do Vinho – Colônia Mergulhão (ACAVIM) é quem administra as atividades do roteiro turístico. A associação foi instituída em 18 de junho de 2004, surgindo da necessidade de organizar os empreendimentos envolvidos na rota de turismo, buscando preservar a identidade rural da região, trazida principalmente pela etnia italiana.

Os associados à entidade se reúnem e decidem juntos cada situação referente ao Caminho do Vinho: discutem pontos relacionados ao desenvolvimento do roteiro, definem objetivos comuns e trabalham em conjunto para atingi-los.

A ACAVIM busca a auto-sustentabilidade para o Caminho do Vinho, mantendo as atividades com recursos vindos dos próprios associados, que contribuem mensalmente com a entidade, e por meio de eventos, como a tradicional Festa do Vinho, que acontece todos os anos no mês de agosto, oferecendo comidas típicas e atrações musicais. O roteiro conta com apoio da Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo – Departamento de Turismo.