Dicas para curtir suas caminhadas na natureza!

Os locais onde muitas pessoas praticam esportes de natureza, como caminhadas e montanhismo, o meio ambiente precisa ser tratado com muito cuidado e respeito. O equilíbrio ecológico depende do bom estado de sua conservação, dependendo portanto, do bom comportamento dos visitantes.

.
Planejamento é fundamental

– Entre em contato prévio com a administração da área que você vai visitar para tomar conhecimento dos regulamentos e restrições existentes.

– Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais.

– Viaje em grupos pequenos de até 10 pessoas. Grupos menores se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impacto.

– Evite viajar para áreas populares durante feriados e férias, contribuindo para a dispersão do fluxo turístico, minimizando seus efeitos negativos.

– Certifique-se de que você possui uma forma de acondicionar seu lixo em sacos plásticos para trazê-lo de volta. Aprenda a diminuir a quantidade de lixo, deixando em casa as embalagens desnecessárias.

– Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita conforme o seu condicionamento físico e seu nível de experiência.

Estude antecipadamente as características climáticas do local que você vai visitar (como os meses em que faz mais frio, os que recebem mais chuva, ou os períodos de estiagem, quando a falta de água pode ser um problema) e prepare-se levando os equipamentos adequados para cada situação. Caso sua atividade inclua acampamentos, um bom isolante térmico para forrar o chão de sua barraca não pode ser esquecido, seja no frio ou no calor. Tenha certeza de que você possui roupas e agasalhos adequados para o clima e um bom saco de dormir, se sua viagem tiver como destino regiões frias ou altas.

Procure evitar as épocas chuvosas, quando a ocorrência de lama nas trilhas e áreas de acampamento é maior, aumentando a probabilidade de impactos no solo e na vegetação.

As férias e feriados prolongados são os períodos mais procurados pelos visitantes de áreas naturais. Conseqüentemente, engarrafamentos, acampamentos lotados, trilhas cheias, água contaminada, pessoas perdidas e conflitos são freqüentes nesses dias. Para ter uma experiência mais enriquecedora e agradável e evitar impactos na natureza, aos outros visitantes e aos moradores locais, procure organizar sua visita em dias de semana e nos meses menos procurados.

Tenha sempre à mão sacos apropriados para acondicionar o lixo. Na maioria das vezes, os visitantes terminam sua viagem em pequenas localidades que têm muita dificuldade em manejar o lixo. Assim, esforce-se para levar o lixo que você mesmo produziu, ou aquele que coletou pelo caminho, para um local que tenha coleta organizada e que encaminhe os resíduos para a reciclagem ou para um aterro sanitário apropriado.

Você deve planejar com cuidado o que vai carregar em sua mochila, pois isso significa peso nas suas costas. Sabendo o número de dias que se pretende passar em campo e o tipo de ambiente pode-se definir o tipo de mochila a ser usada (cargueira ou de ataque), calcular a quantidade e o tipo de comida, a necessidade de carregar saco de dormir e isolante, a quantidade de água a levar etc. Para todos os casos (mesmo para as caminhadas de um dia) é muito útil elaborar cuidadosamente uma lista de itens que não podem ser esquecidos. Essa lista servirá sempre como base para qualquer caminhada que você faça.

1) Planejamento é fundamental

2) Cuide dos locais por onde passa, das trilhas e dos acampamentos

3) Deixe cada coisa em seu lugar

4) Respeite os animais e as plantas

5) Traga seu lixo de volta

6) Evite fazer fogueira

7) Você é responsável por sua segurança

8) Seja cortês com outros visitantes e com a população local

Fonte: Ib.usp.br | Foto: Divulgação.

Vamos viajar com Caminho do Vinho Operadora de Turismo

Caminho do Vinho Operadora de Turismo promove viagem para o Vale do Taquari (RS) de 15 á 20 de março de 2015, nas cidades de Teutônia “Rota Germânica” em Estrela, Imigrante, e Colinas, “Roteiro turístico Delicia da Colônia”, “Roteiro Encantado” e nas cidades de Anta Gorda, Arvorezinha e Ilópolis “Caminho dos Moinhos”, Tour em Lajeado e visita a Vinícola Garibaldi.

1º Dia 15/03 Saída 22hs do Mergulhão no Vô Vito, 22:30hs do Shopping São José em ônibus semi-leito.

2º Dia 16/3 – segunda-feira

Chegada Prevista 7h para café da manhã em Garibaldi no hotel Casacurta. Visita a Vinícola Garibaldi, terminando em uma degustação de vinhos, espumantes e compras.

Partida para Teutônia, 12horas – almoço no Restaurante do Matinho após visitas ao Centro Administrativo, Museu Henrique Uebel, a Casa dos Artesãos de Teutônia, o lago, relógio de flores e outras referências da colonização alemã. Vividiana Pedras e Bella Luna Aromas.

Check-in Hotel Baviera Park em quartos duplos/triplos. Jantar temático de boas vindas com apresentação da banda e folclore Germânico.

3º Dia 17/3 – terça-feira, café da manhã no hotel.

Visita ao Roteiro Delícias da Colônia, (Rota do Sol): Visitas da manhã: Cactário Horst o maior da America Latina em variedades de cáctus, Convento São Boaventura , Sèhven Cosméticos (loja container);
Almoço no Restaurante Frozza; após Associação dos Artesãos e Produtores Coloniais de Colinas;
Sirlei Chocolates; Alambique Berwanger .

City tour em Estrela e Parque Histórico; City tour Lajeado. Jantar livre na cidade; retorno para hotel Baviera.

4º Dia 18/3 – quarta feira, café da manhã e saída do hotel Baviera Park

Roteiro Encantado: Igreja S.Pedro/Memorial Santo Sudário; Casa da Cultura, almoço na Churrascaria Lorenzon. Visita a agro-indústria Divine Chocolates. Saída para Anta Gorda parada no monumento da Anta; visita ao Memorial Nóz Pecan. Arvorezinha. Visita a Doces Carmem no porão da casa a poucos metros da nossa pousada Bei Monti onde faremos o check-in, quartos duplos/triplos/quádruplos.  Jantar no Moinho Fachinetto com uma saborosa comida italiana.

 5º Dia 19/3 – quinta feira, café da manhã e saída da hotel em Arvorezinha

Ilópolis visita na Akatu cosméticos; ervateira Ximango; Parque do IBAMA; Almoço no restaurante D’Itália na pequena Ilópolis após visitação no Santuário São Paulo Apostolo; artesanato no quiosque da Praça Itália, 15hs visita guiada ao moinho Colognese, onde está o Complexo Arquitetônico Museu do  Pão, escola de panificação e a Bodega, aqui vamos por a mão na massa e provar mais tarde na bodega com um cafezinho onde encerramos as atividades. Retorno para São José dos Pinhais via Passo Fundo.

6º Dia 20/3 – chegada prevista nas primeiras horas da manhã.

Inclui: Ônibus semi leito turismo, 2 pernoites Baviera park Teotônia (3 estrela), 1 pernoite no hotel Bei Monti em Arvorezinha, 3 cafés da manhã, 1 café da manhã extra no hotel Casacurta Garibaldi, 4 almoços, 2 jantares sendo um temático germânico com show, 1 café da tarde no museu do pão taxa de visita e

oficina, guia acompanhante e local. não inclui: bebidas e dispesas extras.

 Valor R$ 800,00 – Pagos 250,00 na reserva o restante antes da viagem até o dia 10/03/2015

Contato: Rosana Juliatto – 41 3283 3204 – 9193 2708 vivo/whatsapp – 9667-7449 ou email rosanajuli@bol.com.br

Foto: Divulgação.

Começa produção de vinho 2015 na Colônia Mergulhão

Para atender a demanda dos visitantes e manter a tradição das famílias que se estabeleceram na Colônia Mergulhão, empreendimentos de vinho colonial do Caminho do Vinho de São José dos Pinhais iniciam a produção do ano de 2015.

É no mês de fevereiro de cada ano que os produtores de vinho recebem as uvas, que vem do Rio Grande do Sul, “uma vez que a produção da fruta não encontrou condições apropriadas em São José dos Pinhais”, explica Marina Pissaia que, juntamente com a mãe Bernadete Scrobote, administra o empreendimento Cantina Della Mamma.

Segundo Pissaia, quando os primeiros italianos chegaram à região da Colônia Mergulhão, junto chegou a tradição de beber e produzir vinho. Inicialmente as famílias faziam o vinho para consumo próprio, porém nas festividades de família e reuniões com amigos, a bebida foi se popularizando devido às peculiaridades de sua produção, qualidade e sabor.

O vinho colonial se caracteriza primeiramente pela escolha da uva utilizada em sua confecção, as chamadas uvas de mesa. As mais consumidas são a da variedade Niágara – para os vinhos brancos, e a Bordeaux para o tinto. Outra característica do vinho de colônia é o tempo que leva do preparo ao consumo, período este de até três meses, além da fermentação inicial com a casca da fruta e a adição de açúcar.

Em média um quilo de uva rende uma garrafa de vinho com 750 ml. Seguindo padrões de produção e higiene dos órgãos reguladores, hoje os vinhos da Colônia Mergulhão passam por tonéis de inox entre uma trasfega e outra, que é a ação de passar o vinho de um tonel para outro.

A fermentação inicial com as cascas leva cerca de cinco dias. Após esse tempo, as cascas são separadas e é feita a primeira trasfega, com mais 20 dias, faz-se outra e mais 20 dias a próxima. Neste estágio o vinho descansa por 40 dias e passa pela última trasfega, ficando então mais 40 dias descansando e totalmente lacrado, para somente depois desse período ser envazado e comercializado.

Para mais informações os interessados podem entrar em contato com a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo, através do telefone (41) 3381-5812 ou pelo site do Caminho do Vinho.

 

Fonte: Sjp.pr.gov.br | Foto: Ary Portugal/PMSJP