Um prato consumido por todo o Brasil, a polenta

A polenta é uma receita popular da região Sul, especialmente do Estado do Paraná. Mas é um prato consumido por todo o Brasil. Sua origem remonta o século XIX, quando os imigrantes italianos chegaram ao Brasil. A polenta feita no sul é considerada uma das mais autênticas polentas italianas.

Essa receita é muito consumida no norte da Itália e também em outros países europeus tais como Croácia, Eslovênia, Portugal, Áustria e Bósnia. Os italianos trouxeram uma série de hábitos para o país que contribuiu para a fama da polenta e também de outras tradições.

Com os italianos, surgiu um creme de milho produzido com a farinha de milho, ideal para a produção de várias receitas com polenta. Assim, durante muito tempo foi um dos principais alimentos das familias descendentes de italianos, que procuravam fazê-la frita, dura, mole, grelhada, recheada, etc.

Num primeiro momento, essa comida típica foi uma das principais fontes de alimentação para os imigrantes que trabalhavam na lavoura. Quando as famílias migraram para outros estados, a culinária, que era tradicional, começou a perder um pouco de suas características, e muitos começaram a consumir arroz e feijão. Mais tarde, houve a necessidade de retornar aos valores da família, principalmente na culinária. Atualmente, é uma receita utilizada em restaurantes requintados para fazer combinações com molhos e variados pratos principais.

História da Polenta

A receita de polenta é muito mais antiga do que se parece. Há indícios que já na antiguidade, os gregos faziam um prato parecido usando caldo de legumes ou de carne acrescidos de grãos de trigo sacarreno e favas. O prato tornou-se popular também em Roma.

Já a polenta italiana, que surgiu no Brasil, tem como principal ingrediente o milho. Esse cereal surgiu na América Central e era a base alimentar dos povos da época, como os incas, maias e astecas. A maioria dos pratos eram preparados com o cereal, além de assumirem também, um significado religioso: servir de oferenda aos deuses.

O milho só tornou-se popular na Europa no fim do século XV com o descobrimento das Américas. A receita era feita principalmente pelas mulheres italianas, em regiões como Vêneto. As nonnas ou mammas da família, com blusas de manga longa, preparavam a polenta em um caldeirão. A blusa protegia o braço de serem queimados pelos respingos da comida, que levava de 40 minutos a 1 hora para ficar pronta.

Ao chegar no Brasil, o prato adquiriu novos sabores com a adição de caldo de peixe e frutos do mar, além de algumas receitas que passaram a utilizar a farinha de mandioca.

Fonte: comidas-tipicas.info