Um clássico da culinária brasileira, o Orégano

Um clássico da culinária brasileira, o Orégano, cuja palavra tem origem grega, quer dizer “alegria da montanha”.

Para os gregos esta erva possuía a magia de trazer felicidade. Nos casamentos da Grécia antiga, os noivos se coroavam com orégano e plantavam nos cemitérios para assegurar uma vida feliz no outro mundo.

Denominado de origanon (erva amarga) por Hipócrates na Grécia Antiga, o orégano é originário do Mediterrâneo, Norte da África e Oriente Médio. Participando da receita da pizza ficou conhecido no mundo todo.

Na Idade Média era usado para curar infecções e dores de ouvido e os medievais utilizavam nas magias. Somente o uso da erva na pizza a tornou popular como tempero, sendo cultivado hoje na Europa, Ásia e Américas.

Apicius, o famoso cozinheiro romano, considerava o orégano essencial no preparo de molhos. Os romanos difundiram o uso do orégano através de seu império. É um ingrediente imprescindível da culinária italiana, pois é utilizado em molhos de tomate, vegetais refogados, carne e é claro na pizza. Junto ao manjericão dá o caráter da culinária italiana.

Em Portugal, o orégano é indispensável na confecção de esgargots, e é usado também em caldeiradas e em saladas de tomate e queijo fresco ou requeijão. Aparece também, ainda que em menor medida, nas cozinhas espanhola, francesa, mexicana e grega.

Como outras ervas aromáticas, o orégano perde seu sabor se cozido, portanto deve ser adicionado aos pratos sempre no final.

UTILIZAÇÃO MEDICINAL

A partir de estudos recentes, o orégano foi classificado como a planta de mais alta atividade antioxidante, até mais que a vitamina E. O óleo é usado na composição de aromatizantes de alimentos e perfumes além de possuir efeito inibitório sobre diversas bactérias alimentícias e fungos.

CULTIVO

É realmente muito fácil cultivar o orégano em casa, mas para que ele se desenvolva e tenha maior longevidade, o ideal é plantá-lo em um vaso de tamanho médio/grande ou ainda em um canteiro ou jardineira.

A planta forma moitas rasteiras com flores pequenas na cor púrpura, branca ou rosa e seu plantio deve ser feito em solo leve e rico, que receba luz do sol direta e que seja protegido pelo vento. Necessita de sol e solo bem rico em material orgânico. Adicionar composto orgânico e húmus de minhoca à terra do canteiro.

Fonte: temperaria.com.br