Tudo o que você precisa saber sobre a uva Merlot

Que Merlot e Cabernet Sauvignon são as duas uvas tintas mais usadas no mundo na produção de vinho, você talvez já saiba. Mas, por acaso, conseguiria diferenciar uma da outra?

Antes de propor esse desafio, vamos passar uma “cola” bem completa com tudo o que você precisa saber sobre a uva Merlot, sua origem, principais características e dicas de harmonização! Quer ver? Então, fique de olho!

De onde vem a uva Merlot?

origem do nome “Merlot” é levemente controversa, mas, de maneira geral, há um consenso quanto à sua relação com o pássaro-preto (ou merlo), chamado de merle na França. Aquele mesmo da canção de Paul McCartney.

Só não se sabe bem se a uva foi apelidada de “merlinha” (merlot) por causa de sua cor negro-azulada, como as penas da ave, ou porque é uma das preferidas do pássaro, que vira praga para os vinicultores no momento da colheita!

De qualquer jeito, sua história começa na França, embora seja hoje uma das uvas mais cultivadas no Novo Mundo. Acompanhe!

História

Assim como diversas outras variedades de uvas viníferas vieram do Oriente Médio para conquistar a Europa ao longo da história do vinho, a Merlot também teria sido trazida à França de lá. Aliás, seu primeiro registro de uso na fabricação do vinho é relativamente recente, datando de 1784, na região de Bordeaux.

De acordo com os cientistas que estudam as uvas e videiras — que, para quem não sabe, se chamam ampelógrafos —, a Merlot é, como suas irmãs Carmenère e Cabernet Sauvignon (outras duas francesas bem famosas), descendente da Cabernet Franc.

Atualidade

Apesar de só ter aparecido no século XVIII, não demorou para a Merlot se espalhar de Bordeaux para o mundo. Em 1855, ela já aparece nos registros de uvas tintas cultivadas na Itália com o nome de Bordò, sendo hoje, como dissemos, a segunda mais cultivada do planeta.

Um fator que favoreceu esse sucesso estrondoso foi sua adaptabilidade ao clima dos vinicultores do Novo Mundo, dentre os quais o Brasil vem se destacando desde a década de 1970. De fato, a uva gostou tanto da Serra Gaúcha que há quem diga que ela deveria ser o emblema da nossa principal região produtora de vinho, já pensou?

Para se ter uma ideia, apenas metade da produção mundial de Merlot vem da região de Bordeaux (onde ocupa o dobro de hectares cultivados com Cabernet Sauvignon). O restante está distribuído pelas mais variadas localidades como Israel, Romênia, México, Califórnia, Nova Zelândia, Suíça, África do Sul, Canadá, Chile, Uruguai, Argentina e, claro, o Brasil.

Fonte: http://blog.famigliavalduga.com.br/