O segundo cereal mais produzido no mundo, o Arroz

O arroz é conhecido do ser humano há muito tempo. Dizem que sua origem deu-se no continente asiático, sendo a Índia o primeiro país a cultivá-lo, há mais ou menos 5 mil anos. Atualmente, o arroz é a principal fonte de energia de metade da população mundial e o segundo cereal mais produzido no mundo.

O arroz chegou à Europa nos séculos VII e VIII, com a ocupação árabe na Espanha. A partir daí, passou a ser conhecido em todo o continente. Símbolo da fecundidade no Oriente, o arroz acompanha a saga dos recém-casados há séculos – ele é tradicionalmente jogado sobre os noivos nas cerimônias religiosas. Na Índia, é associado a importantes fases da existência humana. Alguns historiadores designam o Brasil como o primeiro país a cultivar o arroz nas Américas.

Antes mesmo do contato com os portugueses, ele já era colhido pelos índios nos terrenos alagados próximos da costa, conhecido com o nome deabatiuaupé ou “milho d’água”. Há quem diga que integrantes da expedição de Pedro Álvares Cabral, adentrando por cerca de cinco quilômetros em solo brasileiro, coletaram amostras de arroz, confirmando registros anteriores do italiano Américo Vespúcio com referências ao cereal em grandes áreas alagadas do Amazonas. O historiador, antropólogo e jornalista potiguar Luís da Câmara Cascudo (1898-1986) discorda dessa teoria: ele afirma que espécies nativas de arroz não faziam parte dos cardápios indígenas brasileiros e que o cereal tornou-se conhecido pelos nossos primeiros habitantes somente após a chegada e a instalação dos portugueses.

Na época da colonização o consumo de arroz não era significativo, e se mantinha longe do feijão e da farinha. A prática da orizicultura, ou cultura de arroz, só aconteceu de forma organizada no Brasil em meados do século XVIII. Apenas em 1766 a Coroa portuguesa autorizou a instalação da primeira descascadora de arroz na colônia, no Rio de Janeiro. Dali até a metade do século seguinte o país se tornaria um grande produtor e exportador.

O preparo do arroz apenas cozido, como acompanhamento, chegou de Portugal com Luís de Almeida Soares Portugal Alarcão Eça e Melo, segundo Marquês de Lavradio e 11º Vice-rei do Brasil, entre 1769 e 1779. Aqui encontrou a forma crioula de ser preparado: o negro africano de origem malê (oeste africano) primeiro o refogava em azeite com alho ou cebola para depois cozinhar.

Atualmente, o país é o nono maior produtor mundial e sua cultura arrozeira é voltada ao abastecimento do mercado interno. Atualmente, a região sul do país responde por aproximadamente 77 % da produção nacional do arroz, onde o Estado do Rio Grande do Sul desponta como o maior produtor do cereal.

Fonte: certaja.com.br e revistadehistoria.com.br