Pão de queijo

Quem não gosta de pão de queijo? Provavelmente, você e muitas pessoas que conhecem essa iguaria apreciam muito essa bolinha cheia de sabor.

Mas você conhece a origem dessa iguaria tão consumida diariamente? 

A verdade é que a origem do pão de queijo não é certa. Existe apenas uma especulação de que ele tenha sido feito pela primeira vez em fazendas localizadas na região de Minas Gerais, por volta do século XVIII.

Essa especulação é feita porque, nessa época, os senhores das fazendas tinham o hábito de consumir pão, mas a farinha de trigo necessária para fazê-lo não era tão facilmente encontrada no Brasil.

Como nessa época o Brasil não produzia trigo — que, por ser importado, era muito caro, demorava demais para chegar e nem sempre tinha boa qualidade —, as cozinheiras tinham que se virar para fazer o pão de seus senhores.

A alternativa que elas tinham era o polvilho, que era muito produzido aqui porque o país sempre foi um grande produtor de mandioca.

Nessa mesma época, houve uma grande sobra de estoques de queijo em Minas Gerais e eles começaram a endurecer com o tempo (famoso queijo curado).

Para não desperdiçá-lo, ele passou a ser ralado e adicionado à receita do pão convencional. Essa, então, seria a história de origem do famoso pão de queijo.

Além da sua história, o pão de queijo faz bem à saúde, devido à sua composição: 

  • Sais minerais (importantes para o bom funcionamento do organismo);

  • Carboidratos (componentes que participam da produção de energia para o organismo);

  • Proteína (participa da formação de estruturas musculares, entre outras funções);

  • Lipídios (atuam como reserva energética para o organismo, entre outras funções);

  • Água (componente importante para o bom funcionamento das células, entre outras funções)

  • Vitaminas (componentes importantes para o bom funcionamento do organismo).

As substâncias químicas mencionadas estão presentes nos seguintes ingredientes: polvilho, ovos, leite, óleo e queijo.

 

Fonte: escolakids.uol.com.br