O segredo das rolhas de vinho

O segredo das rolhas de vinho é algo que pode te surpreender. Atualmente, muitos são os materiais com os quais são fabricados os vedantes das garrafas de vinho. Por muito tempo, entretanto, a única maneira de tampar uma garrafa era com a rolha de cortiça, material extraído da casca do sobreiro, carvalho da espécie Quercus suber que é extensivamente cultivado em Portugal.

Apesar de suas vantagens reconhecidas ao longo da história, com o passar dos anos, e o aumento na produção dos engarrafados no século XX, alguns problemas foram atribuídos à rolha de cortiça – o que desencadeou algumas polêmicas a respeito de sua utilização, e o aparecimento de vedantes sintéticos.

A cortiça é um tecido vegetal impermeável e flexível ao mesmo tempo, com estrutura que pode ser comprimida até metade do seu volume sem perder sua elasticidade. Como se vê, as suas qualidades naturais são muitas, por isso é considerada o material mais nobre para o engarrafamento de vinho. Ainda mais com um aspecto de raridade, já que a cortiça só pode ser retirada de árvores com idade entre 25 e 30 anos, e após essa primeira extração, apenas a cada 9 anos será possível sua retirada novamente. O principal país produtor da cortiça é Portugal, pois a árvore que a origina é muito comum no sul do país, principalmente na região de Alentejo.
O sobreiro é uma árvore que pode alcançar até 20 m de altura, tem período de vida algo em torno de 150 anos e pode fornecer por volta de 12 extrações da cortiça ao longo da sua vida.

Três são os principais tipos de rolhas fabricadas com a cortiça: a rolha maciça, feita de cortiça maciça, considerada a de melhor qualidade, e que pode chegar a dimensões de 55 mm de comprimento e 25 mm de diâmetro; a rolha de aglomerado de cortiça, feita de sobras da cortiça maciça, moída e unificada com cola, tem elasticidade e durabilidade menores e são mais baratas; e a rolha de champagne, feita em formato de cogumelo, com duas partes distintas, a parte de cima mais rígida feita de aglomerado do material e a parte de baixo, elástica e maciça.

História : O uso da rolha só foi adotado quando se adaptou o armazenamento do vinho em recipiente de vidro de forma padronizada. Isso ocorreu a partir do século XVII, quando o formato da garrafa de vinho que conhecemos nos dias atuais estabeleceu-se definitivamente. O desenvolvimento da rolha de cortiça foi um passo natural para o processo de guarda da bebida em garrafas de vidro.

Fonte: clubedosvinhos.com.br