O segredo das hortênsias (Hydrangea macrophylla)

As hortênsias, pertencentes ao gênero Hydrangea, são arbustos semilenhosos originários da China e do Japão capazes de atingir até 2,5m de altura.

Dentre as espécies deste gênero destaca-se a H. macrophylla, que dá nome a uma das regiões turísticas mais tradicionais do estado do Rio Grande do Sul, a Serra Gaúcha ou Região das Hortênsias. Caracterizadas por suas inflorescências exuberantes, grandes, densas e numerosas, são utilizadas com frequência na composição de jardins e parques e como flores de vaso na decoração de ambientes. Além disso, apresentam uma gama natural de cores, que variam do branco a tons de azul, púrpura, rosa e vermelho.

A produção comercial da espécie é centralizada principalmente no estado de São Paulo e é realizada mediante estacas a partir da ponta de ramos, podados com 8 a 10cm de comprimento, sendo cultivadas em local protegido até o seu completo enraizamento. Contudo, para a obtenção de mudas com melhor qualidade de raízes, número de brotos e porcentagem de enraizamento, estas devem ser oriundas da parte basal dos ramos. O período de enraizamento pode variar de 20 a 40 dias após os ramos serem acondicionados em substrato adequado. A estaquia pode ser realizada diretamente no solo, em substratos comerciais ou em caixas de areia, mas sempre priorizando uma boa aeração e umidade dos mesmos. Após o enraizamento, as mudas podem ser transplantadas para vasos ou local definitivo de cultivo, exigindo irrigação periódica até o pleno estabelecimento.

As mudas de hortênsia podem ser cultivadas em ambiente variados uma vez que a espécie apresenta ótima adaptação à ambientes de clima ameno (12 a 21ºC), desenvolvendo-se bem tanto a pleno sol como meia-sombra e, em solo úmido, livre de encharcamento. Essa espécie se desenvolve preferencialmente em solos com elevada fertilidade e altos teores de matéria orgânica, mas também pode ser cultivada em encostas e a beira de ruas e estradas, protegendo e embelezando essas áreas. Quando cultivadas em áreas externas, a realização de podas é importantíssima a fim de produzir plantas mais compactas e com elevado número de inflorescências, deixando as mesmas ainda mais atraentes.

A definição da coloração das sépalas de hortênsias, parte colorida das flores, por sua vez, traz um segredo. Elas podem facilmente mudar de vermelho para azul, dependendo do manejo adotado e das condições de cultivo. No entanto, todas as cores são desenvolvidas a partir de um único pigmento principal, uma antocianina nomeada delfinidina 3-glicosídeo. O conteúdo deste pigmento em sépalas é responsável pela tonalidade das inflorescências, ou seja, quanto maior a quantidade deste, mais intensa é a coloração.

 

 

Fonte: www.grupocultivar.com.br