História do macarrão

Existem várias histórias sobre a origem do macarrão. Você deve ter ouvido falar da história de Marco Polo, o navegador italiano que trouxe o produto da China e mudou os hábitos italianos. Mas esta é a história mais famosa. Existem outras histórias tão ou menos famosas, como a do marinheiro Spaghetto, que também teria levado o produto da China para a Itália, mas não há datas certas para sua expedição ou sua chegada na Itália, o que sempre deixa os historiadores na dúvida sobre a história oficial.

Marco Polo foi um navegador italiano no século XIII. Em 1271, ele partiu numa expedição à China, onde ficou por 24 anos. Quando voltou para Veneza, trouxe junto receitas deliciosas de massas feitas com uma planta chamada “Sagu”. Mas ele nunca disse que sagu era trigo, ou que a massa era macarrão. Quem inventou esta história foi o editor do seu livro de memórias, que quis explicar melhor a planta e acabou inventando a origem chinesa do macarrão.

De acordo com historiadores, o macarrão é mesmo italiano, e surgiu na ilha da Sicília 100 anos antes de Marco Polo. Os sicilianos moíam o trigo e o misturavam com água e vinho branco, dando origem ao “maccaruni”. O prato começou a ser difundido para o resto da Itália quase na mesma época da chegada de Marco Polo. Nessa época, somente as elites tinham acesso à massa, produzida de forma artesanal: os homens esmagavam os grãos de farinha com os pés, e depois misturavam água e ovos.

Dois séculos mais tarde, o rei Francesco I mandou que se desenvolvesse uma forma mais higiênica de produção. Assim, surgiram as primeiras prensas hidráulicas. Por volta de 1800, com a expansão marítima, o macarrão foi levado ao resto da Europa e do mundo, comercializado e popularizado.

No Brasil, o macarrão chegou junto com a imigração italiana, na segunda metade do século XIX. Famílias inteiras chegavam no porto de Santos, São Paulo, e vinham trabalhar nas fazendas de café do sul e sudeste.

Fonte: www.piraque.com.br