Erros comuns que são verdadeiros crimes contra os vinhos

Erros comuns que são verdadeiros crimes contra os vinhos

Registros históricos sugerem que o vinho surgiu há aproximadamente 10 mil anos, no sul da Ásia. De lá para cá, muita coisa mudou, exceto o fato de ele ainda ser uma das bebidas mais consumidas do mundo. Atualmente, estima-se que haja mais de 6 milhões de rótulos, divididos entre tintos, brancos, rosés, espumantes e vinhos fortificados. Em Portugal existe um tipo de vinho específico, o vinho verde, mas devido a sua acidez elevada é considerado uma categoria à parte. Diferentemente de outras bebidas, o vinho é bom para o paladar e também para a saúde, graças à sua constituição química. Estudos sugerem que o resveratrol — substância encontrada em alguns tipos de uvas — pode ajudar a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, AVC, diabetes, demência e alguns tipos de câncer.

Quando o assunto é vinho, para além dos cuidados com a saúde, há também alguns cuidados com a própria bebida, que devem ser adotados no momento do consumo. Afinal, grande parte dos apreciadores de vinhos cometem alguns erros básicos que podem ser facilmente evitados. Os deslizes são comuns para quem está começando a se aventurar pelas cartas da bebida, mas até os consumidores experientes podem acabar deslizando uma vez ou outra. Para ajudar no combate às gafes, fique atento: