Entendendo o ritual de decantar o vinho

Decantar o vinho não é apenas para os nobres do seriado “Downton Abbey” ou para garrafas caras em restaurantes elegantes. Como muitas práticas do mundo da enologia aparentemente esnobes, a decantação tem uma explicação prática.

A principal razão para decantar qualquer vinho é a aeração. Ao derramar vinho em outro recipiente, o líquido fica exposto ao oxigênio rapidamente. Esse “acorda” sabores e aromas que foram trancados na garrafa por anos ou mesmo décadas, tornando o vinho em questão mais jovial e mais interessante para beber. Desta forma, a decantação é simplesmente uma versão mais intensa de girar o seu copo.

Geralmente, isso é útil para vinhos jovens. Vermelhos encorpados como Malbec ou Shiraz tornam-se muito mais expressivos com um toque de oxigênio. A maioria dos especialistas defende uma decantação vigorosa – o ar é seu amigo aqui – então despeje a garrafa no decantador e realmente sacuda as coisas.

Com vinhos jovens, é O.K. servi-los imediatamente após a decantação ou permitir que o vinho respire por algumas horas. Como os vinhos jovens têm sabores acentuados, um tempo prolongado em um decanter (até quatro horas, mas não durante a noite) não prejudicará os aromas ou sabores do vinho.

Nenhum decanter na mão? Sem problemas. Uma vez que a decantação é principalmente sobre a exposição do vinho ao ar, realmente não importa onde você o colocar depois. Despeje o vinho em um vaso bonito (lave-o primeiro!), ou tigela de peixinho dourado ou jarra de liquidificador. Se você está realizando um jantar e a apresentação é importante, experimente este truque: despeje o vinho em qualquer outro vaso e use um funil para retornar o vinho à garrafa. Voilà! O vinho está arejado e pronto para ser desfrutado.

O segundo propósito da decantação é separar o vinho dos sedimentos em garrafas antigas. Quando o vinho envelhece em sua garrafa, o oxigênio interage lentamente com o líquido através da cortiça, fazendo com que ele desenvolva novos sabores e aromas. Ao longo do processo, pedaços de sedimento se formam e caem no fundo. Não há nada venenoso nesse sedimento, mas ele é extremamente amargo.

Se você está abrindo uma garrafa de mais de 10 anos de idade, a decantação é a chave. A técnica para remover sedimentos é o oposto da decantação vigorosa. Leve suavemente o vinho ao decanter (ou vaso, liquidificador, aquário, copo de cerveja), enquanto observa o pescoço da garrafa. Assim que você puder ver as formas de sedimentos naturais no pescoço dela, pare de derramar. Pode ter ficado um pouco de vinho na garrafa, mas é melhor deixá-lo ali. Por outro lado, se você quiser salvar cada gota, coloque um filtro de malha fina sobre a parte superior do decanter (ou o seu copo) e despeje até a última gota.

Com vinhos envelhecidos, é melhor decantar imediatamente antes de servir. Abster-se de qualquer rodar vigoroso, o que poderia fazer os aromas delicados desaparecerem.

Embora muitas pessoas associem decantação com vinho tinto, a prática não é limitada pela cor. Os vinhos brancos e até rosados ​​podem se beneficiar igualmente da decantação. Aplicam-se as mesmas regras: faça o processo vigorosamente com os vinhos brancos ou rosados ​​jovens e suavemente com os envelhecidos. Os únicos vinhos que não devem ser decantados são os vinhos espumantes, uma vez que a decantação eliminará a efervescência que torna essas garrafas tão deliciosas.

Debatendo quando decantar? Lembre-se da regra de ouro: beba vinho como você gosta. Na verdade, não há nenhuma resposta errada no final, então, use essas dicas como diretrizes e experimente a vontade. A próxima vez que você encontrar uma garrafa velha empoeirada ou um Shiraz jovem, tente e beba feliz.

Fonte: https://www.meuvinho.com.br/