Entenda os tipos e as diferenças entre os vinhos

O vinho é produzido a partir da fermentação alcoólica do suco que sai das uvas amassadas. Os tipos de vinhos variam de acordo com a cor, com a quantidade de açúcar e gás carbônico, e com o teor alcoólico.

O tipo de uva utilizado é um dos fatores mais determinantes para diferenciar um vinho do outro. A espécie mais cultivada no mundo é a Vitis vinifera, que origina diversos tipos de uvas, como as francesas merlot e cabernet, ou as italianas prosecco e nebbiolo.

Talvez você não tenha reparado, mas nas garrafas existem algumas informações importantes para entender o tipo de vinho.

O nome do vinho costuma estar maior, em destaque. Logo abaixo do ano, que pode ser tanto o ano de colheita como o ano de engarrafamento, vem o nome da uva.

Pode ter também o país e/ou a região de onde ela vem, o distrito da vinícola, a sua comunidade e a plantação ou o castelo que deu origem ao vinho.

Da composição:

Vinho Tinto 

É feito com uvas escuras (tintas), como Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Pinot Noir, Tempranillo, Malbec, Carmenère, Tannat e Touriga Nacional. Costuma ser mais encorpado e possui pouco açúcar. Alguns podem ter uma pequena parcela de uvas brancas. Combina com carne vermelha, risotos, massas e queijos em geral. (Ou até com peixes gordos, como o bacalhau).

Vinho Branco 

É feito com uvas brancas (verdes) tipo Chardonnay, Sauvignon Blanc, Riesling, Torrontés e Pinot Grigio, entre outras, ou com a poupa de uvas pretas. Tem um sabor mais frutado e cor clara. Combina com peixes, frango, carne de porco, frutos do mar, queijos e saladas.

Vinho Rosé

É feito apenas com uvas escuras. Fica com a cor rosada porque a casca da uva fica pouco tempo em contato com a uva amassada. Por isso dá a impressão de ser uma mistura de vinho branco com vinho tinto. Combina com frango, carne de porco, peixes, frutos do mar, saladas e petiscos.

Vinho Espumante 

Feito com uvas brancas, tipo Chenin Blanc, e gás carbônico, mas pode levar uma pequena quantidade da uva tinta Pinot Noir. Passa por uma fermentação com leveduras na garrafa (os mais famosos) ou em cubas inox (os mais simples). Combina com peixes, ensopados, frutos do mar, saladas e petiscos.

 

Fonte: www.vix.com