Do milho tudo se aproveita

Quem resiste a delícias feitas com milho?

“Toda comida tem uma estória e com o bolo de milho verde não poderia ser diferente. A origem o bolo de milho esta ligada à cultura dos índios tupis guaranis. A iguaria conhecida pelo nome Mbojape é o alimento tradicional que os índios costumam preparar para uma cerimônia análoga ao batismo das crianças.

O nome milho vem de uma palavra indígena que significa “sustento da vida”. Até à época da colonização e dos descobrimentos, o milho não era muito conhecido. Ganhou o mundo a partir dessa época.

Este alimento tão versátil tem presença garantida na mesa do mundo inteiro assim como na cultura popular brasileira, talvez por ser um alimento bastante acessível a todas as pessoas, pois além do custo baixo, e da diversidade de sua utilização, possui boas propriedades nutricionais.

Do milho tudo se aproveita. Do cabelo ou barba de milho se faz um chá que é excelente para os rins, é um poderoso diurético. O amido de milho originado do milho era usado antigamente para engomar a roupa. O Whisky do tipo Bourbon contém de 50 a 80% de milho Do milho também se extrai o etanol.

Do milho se obtém óleo, açúcar, combustível, bebidas, além de inúmeras receitas como em espigas, em cremes, em sorvetes, em sucos, em bolos, em pudins em receitas salgadas e claro na pipoca. Doce ou salgado nesta época do ano ele é o “queridinho” das receitas.

Isto sem falar, da mais famosa espiga de milho, o sábio ‘Visconde de Sabugosa” de Monteiro Lobato, que tantas aventuras nos fez viver no Sitio do Pica-pau amarelo.

Não existe quem não goste ou já não tenha se deliciado com essa iguaria, assim como também não existe festa junina sem milho, Ou será que existe?

Bem ao menos aqui, no Caminho do Vinho, o Senhor Milho é presença obrigatória, independente da época!

Fonte: blogs.gazetaonline.com.br