Curiosidades sobre o feijão

Existem inúmeras controvérsias sobre a origem do feijão. Alguns pesquisadores dão como certo que ele surgiu no continente americano, onde é cultivado há aproximadamente 7000 anos. Outros, porém, garantem que o feijão apareceu do Sudeste Asiático e, de lá, foi se espalhado para o restante do mundo.

O feijão comum possui vitaminas B e C, caseína vegetal, globulina, ácido cítrico, sacarose, entre outros componentes.

O feijão mais popular do Brasil (e que mais acompanha o arroz nas principais refeições) é o carioquinha. O curioso é que ele está longe de ser o mais popular do Rio de Janeiro. Os cariocas gostam mesmo é de feijão preto.

O feijão carioquinha recebeu esse nome por causa das listras, que lembram o calçadão de Copacabana. O curioso é que ele só existe há 40 anos, surgido do cruzamento de outros tipos de feijões.

O tipo de feijão mais popular do Pará é o fradão (além do manteiguinha, é bom lembrar). No Ceará, o mais popular é o feijão-de-corda. Em Minas Gerais, é o jalo. No Rio Grande do Sul, é o preto. Na Bahia, o fradinho. No Centro Oeste, o rosinha. Em Santa Catarina, o branco.

Você sabia que o feijão…

Você sabia que o feijão fradinho é o principal ingrediente do baianíssimo acarajé?

Sabia que os catarinenses (ou boa parte deles) costumam comer feijão branco com eisbein (joelho de porco cozido)?

Os nordestinos gostam de usar mulatinho com abóbora e/ou mandioca na receita da feijoada nordestina.

O gosto do paraenses pelos feijões do tipo fradão e manteiguinha foi introduzido por funcionários da empresa norte-americana Ford que foram para o Estado na época do ciclo da borracha.

A feijoada não foi criada pelos negros nas senzalas, ao contrário do que dizem por aí, mas pelos portugueses. Dependendo da região, os portugueses preparam esse tipo de prato com feijão branco ou feijão vermelho. A feijoada preparada com feijão preto é chamada em Portugal de feijoada à brasileira.

Existem pratos parecidos com a feijoada brasileira em outros países. Todos levam feijões com carne, seja de boi ou de porco. São exemplos: a moçambicana feijoada do Ibo, a romena fasole cu cârnati e o francês cassoulet.

Considerada por muitos uma especialidade mineira, a receita de feijão tropeiro foi criada pelos paulistas.

Popular no Nordeste, o baião-de-dois tem como principal ingrediente o feijão do tipo fradinho.

Feijão-verde, feijão-de-corda e fradinho são praticamente o mesmo tipo de feijão. O nome varia de acordo com o “estágio” do feijão durante a colheita. O feijão-verde, por exemplo, é obtido quando ele ainda não atingiu o seu completo desenvolvimento. O fradinho é o feijão já totalmente desenvolvido.

Os japoneses fazem doces de uma variedade de feijão chamada azuki. Por falar nisso…

Você sabia que existe no Japão um refrigerante produzido a partir do feijão azuki?

O chili, um dos mais conhecidos pratos da culinária mexicana é preparado a partír de feijão, carne moída e pimenta – muita pimenta, por sinal.

Os maiores produtores mundiais de feijão são, pela ordem: Brasil, Índia, China, Myanmar e México.

Fonte: maiscuriosidade.com.br