Consumido com moderação, vinho ajuda na saúde e deixa a pele mais bonita

Basta a temperatura cair um pouco para dar aquela vontade de beber um bom vinho.

Apesar de calórico, ele é fornecedor de antioxidantes que ajudam na redução do colesterol ruim e da pressão arterial e ainda por cima deixam a pele bonita. Com um plano alimentar equilibrado e consumida com moderação, a bebida pode ser importante aliada da beleza.

Segundo a nutricionista Alessandra Almeida, da Clínica Andréa Santa Rosa, essas propriedades antioxidantes são atribuídas aos polifenóis, que evitam a oxidação de células, melhoram a circulação e a saúde cardiovascular:

Estudos mostram que os flavonoides presentes no vinho tinto são ricos em polifenóis como resveratrol, que têm poder antioxidante muito superior ao das vitaminas C e E, largamente utilizadas nos cosméticos. Por essa razão, eles são excelentes aliados no tratamento antienvelhecimento da pele e evitam o desgaste dos fios de cabelo.

Uma taça de vinho na maioria dos casos pode suprir a necessidade de combater os radicais livres. Porém, segundo Alessandra, em alguns casos, essa quantidade não é suficiente, sendo indicado uma suplementação do resveratrol.

— O resveratrol é resultado de um sistema de proteção da planta. Encontrado principalmente na casca e nas sementes das uvas, ele quase não aparece nos brancos e espumantes.

O resveratrol presente no vinho também auxilia no emagrecimento, pois acelera o metabolismo, lembra a nutricionista Fernanda Ganem:

— Estudos relatam que ele estimula o corpo a liberar um hormônio chamado adiponectina, que é responsável pela quebra das gorduras.

A bebida também é fonte de silício, um mineral envolvido na formação do colágeno e na calcificação dos tecidos ósseos e paredes de vasos sanguíneos. De acordo com Fernanda, esse elemento protege unhas, cabelos, pele e tecidos de sustentação.

Segundo a dermatologista Juliana Carnevale, além do consumo, o uso tópico de produtos com base na uva pode fazer bem à pele e aos cabelos:

— Existem marcas especializadas em cosméticos à base dos antioxidantes presentes na uva. Encontramos séruns, águas, óleos corporais, cremes, hidratantes, esfoliantes, máscaras, tônicos, gel de limpeza. Para os cabelos, há xampus, condicionadores e máscaras capilares reconstrutoras — explica ela.

— Na pele, o poder do vinho é mais antioxidante, mas o nosso ritual oferece a degustação, então tem o momento de relaxamento também — define Loua Unger, coordenadora técnica do W Spa.

A vinhoterapia também pode ser facial. Segundo Juliana Carnevale, após uma esfoliação da pele, é aplicada uma máscara facial à base dos polifenois da uva (máscara de vinho), que melhora peles desvitalizadas, conferindo maior luminosidade e hidratação. Ela também auxilia no combate aos radicais livres responsáveis pelo envelhecimento.

Apesar dos benefícios para a pele e para os cabelos, o vinho pode ser um inimigo da balança por conta das calorias provenientes principalmente do álcool. Para que os benefícios da bebida sejam alcançados é importante que haja um plano alimentar equilibrado, elaborado por uma especialista, que leve em conta doses de vinho a serem consumidas em moderação.

— É preferível tomar vinho a cerveja ou refrigerante. Além de conter substâncias químicas prejudiciais ao nosso organismo, o refrigerante tem em média 150 kcal. A versão zero deles não tem calorias, porém a quantidade de sódio presente é muito elevada — defende Alessandra.

— Para se ter todos os benefícios na proteção cardiovascular, combate ao câncer, combate ao envelhecimento e ajuda no emagrecimento, basta uma taça por dia para mulheres e duas para homens. Mais do que isso, todos esses benefícios não ocorrem e o vinho passa a ser um vilão para a nossa saúde e para a nossa silhueta — completa Fernanda.

 

Fonte: oglobo.globo.com