Comida de Vó: uma das melhores coisas do mundo

Pensou em casa de vó, pensou em mesa cheia. Bolo, manteiga, café, queijo, uma boa carne cozida, ovos, kibes, macarronadas… Mesmo que sua avó não seja dessas de mão cheia, provavelmente você conhece alguma avó assim – e um avô que não abre mão daquela comidinha de vó.

Nossos avós nunca tiveram acesso a shakes, bolo sem glúten, margarina e poucos gostam de refrigerante. Quem ainda tem os avós vivos sabe: eles se mantém com toda disposição, comendo de tudo que a gente se pergunta se deveria ou não comer. Além disso, associam gordura com saúde: essa história de neto muito magrelo não é pra eles, tem saúde quem está ‘gordinho’.

Para os netos de avós bem velhinhos – lá se vão 80 ou 85 anos – é surpreendente vê-los cozinhar toda aquela comida, comer pão francês com manteiga pela manhã, beber leite integral e se manterem na melhor forma física – eventualmente tomando alguma medicação só por ‘probleminhas de fábrica’. E é aí a gente se pergunta: “porque a gente insiste em inventar moda sobre alimentação?”. De fato sofremos com esses problemas de saúde causados pela má alimentação. Na vasta maioria, pelo o alto consumo de carboidratos refinados e gordura trans. Mas esses excessos não são do que nossos avós reconhecem como comida, mas sim desse alimento que a gente insiste em chamar de ‘comida’ – muitas vezes, disfarçada de saudável.

De fato temos uma população idosa que sofre com câncer, diabetes e etc. Mas se olharmos para os nossos antepassados, em número absoluto, eles sofriam menos e comiam mais ou melhor. No Caminho do Vinho, temos vovôs e vovós, que tem mais de 90 anos,  e nunca viram uma barra de cereais, não devem saber o que é glúten e nunca provaram uma margarina, mas tem uma saúde de ferro.

Além disso nossos avós tiveram o privilégio de envelhecer em locais cujo deslocamento pode ser feito a pé, fazendo-os gastar o máximo de energia possível. Não é aquela 1 horinha de academia que compensa um mundo de alimentos fit: é uma vida ativa compatível com o consumo de #comidadeverdade. 

Será que no futuro seremos uma geração de avós que sofreu tanto seguindo dietas da moda, que perdeu tantos momentos deliciosos ao redor de uma mesa, arrependidos de várias coisas gostosas a gente poderia ter comido e não comeu?  tudo isso tentando encontrar saúde e disfarçar nossa idade a todo custo (a cada dia queremos ser mais e mais jovens, abusando dos recursos estético e pseudo-nutricionais). Para pensar…

Fonte: http://www.naocontocalorias.com.br/