Bê-á-bá do vinho

Já falamos sobre a origem do vinho, como é feito, sobre o processo da fermentação, quando o levedo consome todo o açúcar contido nas uvas deixando para trás álcool e um gás, dióxido de carbono.

Também já falamos sobre os processos de fabricação: como são feitos os vinhos brancos secos, os vinhos tintos secos, os rosados, os espumantes e os principais fortificados: o Porto, o Jerez e o Madeira.

Mas esse nosso bê-á-bá estaria incompleto se um outro estilo de vinho, da maior importância, fosse esquecido. Tão incompleto quanto uma refeição sem sobremesas, não é mesmo? O mundo dos vinhos também tem suas sobremesas. E das mais requintadas.

Os Vinhos Doces. Sim, são doces como o nome indica, mas feitos por processos naturais. Eles resultam adocicados porque a fermentação termina antes que os levedos tenham consumido todo o açúcar das uvas. O açúcar que restar (que os técnicos chamam de açúcar residual) é que deixará o vinho mais ou menos doce.

A impressão do sabor doce no paladar será muito influenciada, também, pelos níveis de acidez, de taninos e de dióxido de carbono no vinho, bem como pela temperatura do vinho, quando o bebemos. O álcool também influencia, pois pode adquirir um sabor mais adocicado.

Boa parte das pessoas hoje associa o vinho doce a uma falta de sofisticação, de requinte, de educação em saber apreciar vinhos. Quase todos preferem os vinhos secos.

É uma pena. Acho que se trata de um condicionamento e de falta de oportunidade de conhecer os bons vinhos doces. A maioria dos que temos disponíveis no varejo comum, de fato, são uns desastres. São doces (até artificialmente) para facilitar o consumo junto a uma faixa de público que associa amargor a má qualidade. “De amargo já basta a vida”, não é o que dizem?. Daí, talvez, a imagem negativa que adquiriu junto aos neófitos do vinho.

Mas pode acreditar,  que alguns dos melhores vinhos do mundo são doces. Basta que haja acidez bastante para contrabalançar com o açúcar e o vinho doce não ficará enjoativo: será sempre delicioso.

Os melhores vinhos doces são feitos a partir de grande concentração de açúcar nas uvas. A produção do álcool será tal que num determinado momento matará o levedo, encerrando o processo de fermentação. Assim, restará ainda uma boa quantidade de açúcar no suco fermentado: é o que faz o vinho ficar doce, claro.

 

Fonte: www.vix.com