A queridinha, Canjica

Em festa junina que se preze, ela não pode faltar. Esse doce tipicamente brasileiro aparece em diferentes versões de norte a sul do País, variando a cor, o sabor e até o nome.

Nome

Canjica é o nome dado a uma espécie de milho branco e também ao prato que é preparado com esse milho e outros ingredientes como leite ou leite de coco e açúcar. No nordeste, o prato recebe o nome de munguzá. Em Minas Gerais é também chamada de piruruca. No Rio de Janeiro é canjiquinha. É conhecida ainda como corá, jimbelê e chá-de-burro. No sudeste, há uma versão com milho verde comumente chamado de curau.

O grão de canjica também é usado para fazer outros pratos, como fubás, farinhas e creme de milho.

Origem

Há controvérsias quanto à origem do termo canjica. O dicionário Houaiss cita como uma provável origem do português, canja. Alguns acreditam que a palavra vem de kandjica, da língua africana quimbundo, que é falada em Angola. Outros acham que canjica é uma palavra que tem origem no idioma malaiala, de Malabar, uma região da Ásia. Há também a possibilidade de ser originária do quicongo – língua banta falada pelos quicongos em Angola – kanjika como sinônimo de papa de milho grosso cozido.

Acredita-se que a canjica tenha chegado ao Brasil com os escravos e era um alimento bastante comum nos quilombos e senzalas. Da senzala para a casa grande, a canjica ganhou novos ingredientes. Com o hábito de se comer diversos derivados de milho bastante difundido, o prato se popularizou de norte a sul do Brasil. Antigamente, era prato quase obrigatório no jejum da Sexta-feira Santa, fazendo parte do hábito da data.

Nas festas juninas está sempre presente junto com outros alimentos à base de milho, como pipoca, pamonha e milho verde.

Propriedades Nutricionais

“O milho verde é o milho colhido antes de estar maduro, como o próprio nome sugere. Ele é bastante utilizado cozido ou como farinha de milho ou fubá (após secagem e moagem desse milho). Na canjica, o milho passa por um processo industrial de secagem”, explica o médico nutrólogo Eric Slywitch, destacando que em 100 g do produto seco existem 347 calorias.

Ele chama atenção para o preparo da canjica, que pode aumentar muito seu valor calórico, prejudicial para quem controla o peso ou tem problemas com obesidade ou diabetes. “O uso de leite integral, leite condensado, amendoim e outros alimentos muito calóricos podem fazer com que a canjica que chega ao prato tenha um valor calórico muito elevado.” Como alternativa, ele sugere utilizar leite de soja e no lugar do açúcar branco, açúcar mascavo ou demerara.

Segundo Eric, em cada 100 g de canjica seca são encontrados 8,5 g de proteína (cerca de 15 % das necessidades diárias de uma pessoa com 70 kg), 4,8 g de fibras (cerca de 20% das necessidades diárias), 3,52 mg de ferro (cerca de 20% das necessidades diárias), 49 mg de magnésio (cerca de 11% das necessidades diárias), 166 mg de fósforo (cerca de 23% das necessidades diárias), 0,92 mg de zinco (cerca de 7% das necessidades diárias), 0,58 mg de vitamina B1 (cerca de 50% das necessidades diárias), 0,33 mg de vitamina B2 (cerca de 25% das necessidades diárias), 4,81 mg de vitamina B3 (cerca de 30% das necessidades diárias), 0,31 mg de vitamina B5 (cerca de 6% das necessidades diárias), 0,27 mg de vitamina B6 (cerca de 21% das necessidades diárias) e 154 mgc de ácido fólico (cerca de 40% das necessidades diárias).

Propriedades Medicinais

O Dr. Eric Slywitch explica que o tipo de fibra presente no grão de canjica pode ser bom para evitar prisão de ventre. Outra vantagem que o grão apresenta é seu tipo de gordura, bom para o colesterol e para doenças cardiovasculares.

Curiosidades

A canjica foi tão incorporada ao hábito alimentar brasileiro que seu termo ganha lugar em diversas expressões populares, como “pôr as canjicas de fora”, que significa exibir os dentes, sorrir; ou “pôr fogo na canjica”, ou seja, agitar, provocar confusão, entusiasmar. A expressão “Fogo na canjica” é também o nome de um filme brasileiro, de 1948, que tem como pano de fundo as festas juninas e no roteiro uma história de amor de um pracinha que foi herói no front italiano.

Canjica é também um bairro da capital de Mato Grosso, na zona leste de Cuiabá. Em Tiradentes (MG), um dos pontos turísticos é a Capela de Santo Antônio do Canjica, do século 17, em um bairro também chamado Canjica. Segundo o historiador Olinto Rodrigues dos Santos Filho, o nome tem origem histórica e deve-se ao fato de um minerador ter extraído da lagoa Canjica, que fica na região, grande quantidade de pepitas de ouro com o tamanho de um grão de milho canjica.

Fonte: editoraeuropa.com.br