A origem do amendoim e seus benefícios

O amendoim é originário da América do Sul, onde existe há milhares de anos. Desempenhou desde sempre um papel importante na dieta alimentar dos Incas e de outros Índios nativos da América do Sul e do México.

Os exploradores espanhóis e portugueses que descobriram o amendoim no Novo Mundo, levaram-no para a África. Plantado em diversos países africanos, floresceu e passou a fazer parte das culturas alimentares locais. Chegou a ser reverenciado como um alimento sagrado e, no início do comércio de escravos, era transportado nos barcos que iam de África para a América do Norte sendo assim introduzido nesta região.

No século XIX, o amendoim aumentou muito a sua popularidade nos EUA graças principalmente a duas pessoas; uma, George Washington Carver, que sugere que os agricultores passem a plantar amendoim nos seus campos de algodão destruídos após a Guerra Civil, e que inventou mais de 300 aplicações para esta leguminosa; outra, um médico de St. Louis, Missouri, que plantou amendoim, fez manteiga de amendoim e prescrevia a ingestão de amendoim aos seus pacientes, dado o seu elevado valor nutritivo e o seu baixo teor de carboidratos; claro que este médico não  “inventou” a manteiga de amendoim, mas certamente teria conhecimento de outras culturas existentes ao longo dos séculos e a partir de tal conhecimento teria se “inspirado” para fazer a referida manteiga de amendoim que, como se sabe, veio se a se  tornar um alimento muito popular.

Hoje, os principais produtores comerciais de amendoim são a Índia, a China, a Nigéria, a Indonésia e os Estados Unidos.

A origem do amendoim e seus benefícios: saúde  

Bom para o coração

O amendoim é uma boa fonte de gordura monoinsaturada. Este tipo de gordura, predominante na dieta mediterrânea, é fundamental para um coração saudável.

uma fonte de antioxidantes

O amendoim que contém não só ácido oleico como o mesmo tipo de gordura saudável que encontramos no azeite de oliveira tem ainda a vantagem de ser muito saboroso e rico em antioxidantes.

Embora não apresente índices de antioxidantes tão elevados como, os dos frutos vermelhos – a romã, a amora, o morango, entre outros – têm, no entanto, um índice de antioxidante muito mais elevado que outros frutos, como a maçã, a cenoura e a beterraba. O amendoim contém uma alta concentração de polifenóis antioxidantes, principalmente um composto chamado ácido p-cumárico, que aumenta o índice de antioxidante em mais 22%.

Rico em minerais que fornecem energia

O resveratrol é um flavonóide que tinha sido inicialmente encontrado na uva vermelha e no vinho tinto, chegou-se agora a conclusão de que também existe no amendoim.

O resveratrol só por si (um nutriente purificado por via intravenosa, e não através da ingestão de alimentos) é um fitonutriente que ajuda a aumentar em cerca de 30% o fluxo sanguíneo no cérebro, reduzindo portanto o risco de derrame.

Ao estimular a produção e/ou a liberação de ácido nítrico (NO) no revestimento dos vasos sanguíneos (endotélio), leva ao relaxamento muscular e a consequente dilatação dos referidos vasos o que, por sua vez, aumenta o fluxo sanguíneo. Nos animais aos quais foi dado resveratrol, a concentração de óxido nítrico (NO) na parte afetada do cérebro (isquemia) foi 25% maior do que a concentração de (NO) verificada nos que não receberam resveratrol.

Fonte: i-legumes.net